domingo, 4 de setembro de 2011

As calçadas e um momento de grande inspiração e revolta do Tonicato Miranda


----- Original Message -----

From: Roberto Ghidini Jr

To: fomus@googlegroups.com

Sent: Sunday, September 04, 2011 6:05 AM

Subject: RE: Quando os Governos decidirão agir? Será crime ofender gente mal educada?



Cascaes,



Da minha parte sem problemas, embora o texto do Miranda sim que seja merecedor de ir ao blog, se vc quiser pode colara meu "desabafo" também...



abraços,



rg

________________________________________

From: jccascaes@onda.com.br

To: fomus@googlegroups.com

Subject: Re: Quando os Governos decidirá agir? Será crime ofender gente mal educada?

Date: Sat, 3 Sep 2011 16:42:43 -0300

Caros amigos



Posso roubar o texto colando-o em blog?



É excelente.



Abraços



Cascaes

3.9.2011

----- Original Message -----

From: Roberto Ghidini Jr

To: fomus@googlegroups.com

Sent: Saturday, September 03, 2011 3:47 PM

Subject: RE: Quando os Governo decidirá agir? Será crime ofender gente mal educada?



Miranda, Cascaes e amig@s FoMUS...



Creio que de todos o mais desiludido realmente sou eu.

Vim-me embora da "pátria amada" e já não volto por nada.



Deveria talvez voltar para lutar contra a hipocrisia e contra esses salafrários políticos como você (Miranda) bem descreve, que não andam a pé (coisa de gentinha), mas infelizmente já não tenho mais ne um ímpeto de fazê-lo. Foram-se meus anos de rebeldia. Agora posso criticar à distância e o farei, mas viver (ser/estar) quero mesmo e fazê-lo por estas bandas daqui. Mesmo sendo os governos europeus igualmente corruptos e talvez os máximos responsáveis pela situação global de crise, a dignidade do cidadão ainda é maior que eles próprios e o respeito mesmo que já não exista mais a dita "sociedade do bem estar", segue sendo garantida pelos próprios cidadãos.

Seguiremos sim, apontando o dedo, mas dificilmente - a não ser em pequenos períodos quando em visita a familiares - estaremos no campo de batalha por melhores dias...



...lo siento...



abrazos,



rg





________________________________________

Date: Sat, 3 Sep 2011 15:08:12 -0300

Subject: Re: Fw: Quando os Governo decidirá agir? Será crime ofender gente mal educada?

From: antonmir@gmail.com

To: fomus@googlegroups.com

Prezado Cascaes,



Chega um tempo somos vencidos pelo cansaço.

A voz despreza seu próprio grito, se cala mansa.

Gritar para quê? Quem ouvirá o grito?

E este brado impetuoso da voz exigindo mudança?

Nada. Ninguém. Estamos vivendo num País doente.

Este País estertora diante de tantos facínoras

elevados à condição de governantes, de eleitos

pelo povo, com cargos imutáveis até um final

de mandato que nunca chega, jamais se acaba.



O Brasil e seu povo estão doentes.

Vivemos uma crise de moral e social sem precedentes.

Sim, poderia você dizer. Isto era dito dez anos atrás,

vinte anos passados, lá nos anos 70, nos anos 60.

É certo, desculpe-me amigo, a minha memória anda

bêbada de tantas repetições. Os calhordas de hoje

nos fazem esquecer os calhordas de ontem.

Muitos se locupletam das vantagens do poder.

Estamos numa nação de ladrões. A Engenharia

“foi pro saco”, como dizem as vozes mais abruptas.

O urbanismo não é mais o retrato da qualidade de

vida de uma cidade. Não é mais o valor que seus

cidadãos dão à vida e ao convívio social.



Tanto faz que nossas calçadas sejam feias,

desconfortáveis, que impeçam o livre caminhar

dos nossos velhos, dos nossos deficientes.

Os governantes não andam a pé. Andam de

uma garagem até outra e a outra, e assim vão

passando pela pele da cidade como se o chão

somente importasse para os pneus de seus

automóveis. Com chofer é claro.

E se isto for muito desconfortável é sempre

possível pegar uma carona no helicóptero

daquele “amigo” empresário.



Calçadas, passeios, para quê? Basta que estejam

remendadas, que estejam cobertas ou agendadas

para obras com a desfaçatez da promessa.

Políticos não andam a pé. Não se ocupam com

a baixeza do chão. Seus objetivos são “maiores”,

viajam mais alto. Têm metas abstratas, e a concretude

das contas nos bancos, na propina fácil do jeton

do “lobby” quando da defesa do interesse de

corporações. Calçadas? Quem reivindica isto? Por

acaso há alguma grande incorporadora a pedir um

projeto para este tema? Há algum interesse de

material novo a produzir milhares de metros quadrados

para sua aplicação na cidade? Existe alguma associação

de idosos empresários querendo uma ajuda em

algum Orçamento da LDO?



Que pena não exista. Pobres coitados. Rezemos a eles.

Façamos uma prece em louvor desta morte anunciada.

Quem sabe venhamos a produzir um projeto de lei onde

as calçada passem a ter nomes? - diria um político.



Quem sabe assim possamos nós dar a

algumas delas o nome dos nossos pais?

Quem sabe assim recebam melhor tratamento?

Tudo em memória dos grandes homens que foram nossos pais.

Embora possam ter sido alguns deles cretinos, bêbados e otários,

mortais como todos os cidadãos que não somos nós, os políticos.

Nós, que recebemos as cidades para comandá-las, segundo nosso

próprio desígnio e ardil. Nós que dizem somos os mais insensíveis

larápios que a história já produziu. Mas não veem que somos,

em verdade, pessoas espertas, raposas solidárias a distribuir

as penas da galinha ao sopro do espaço depois de ter comido

sua carne?



Mas temos de ter esperança. Cascaes.

Sim, qualquer dia desses vou passear no campo.

Caso tenha um pouco de sorte poderei trazer de lá

uma esperança bem verde, com compridas patas,

e colocá-la no meu jardim para assim olhá-la

toda vez que a esperança abstrata se despencar

na poltrona da minha sala e na minha pobre alma.



Grande Abraço, companheiro.

Antonio Miranda

--------------------------------------------------------



Nenhum comentário: