domingo, 22 de dezembro de 2013

Pedras irregulares, isso é possível em nossas calçadas?

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Em 3 de dezembro estaremos discutindo, mostrando, exercitando a cidadania na Rua das Flores

DIA INTERNACIONAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
DIA 3 DE DEZEMBRO
PARTE I
ATIVIDADES EXTERNAS
Das 08:30h às 12:30h
Local: Av Luiz Xavier – em frente ao Campus Garcez do Centro Universitário Uninter
•         Apresentação de esportes adaptados ( tênis, basquete e esgrima em cadeira de rodas) pelos Atletas da ADFP – Associação dos Deficientes Físicos do Paraná
•         Tenda da Inclusão – Distribuição de panfletos e materiais sobre Acessibilidade e informações sobre o programa Brasil Sem Limites, pelo Banco do Brasil; assinaturas de apoio sobre pedido de projeto de lei sobre as calçadas de Curitiba
Teatro de Guarapuava do Departamento de Arte e Educação do UNICENTRO
•         Mensagens aos transeuntes sobre o Dia Internacional – Pronunciamento de Lideranças – Coordenação do Arquiteto Ricardo Mesquita
•         Entrevista com a imprensa – Participação de dirigentes e representantes do IRG coordenados pelo Professor Ricieri, sobre pesquisa das calçadas de Curitiba, realizada pelo Centro Universitário Uninter
•         Apresentação de talentos musicais.

PARTE II
Local: Auditório do Campus Garcez do Centro Universitário UNINTER.
Av. Luiz Xavier, 103, 7º andar. Entrada acessível pela Voluntários da Pátria em frente ao O Boticário.
No local estará em exposição para visitação, o micro-ônibus ACESSO, da Prefeitura Municipal de Curitiba, que faz transporte agendado de PcDs, porta a porta.
PROGRAMA
13:00h: Credenciamento
Entrada no auditório passando pela Túnel das Sensações montado pela UNILEUH.
Exposição de obras de arte de criadas por pessoas com deficiência.
13:15h.: Abertura – Palavras de boas vindas - Profª Leomar Marchesini, coordenadora do SIANEE do Centro Universitário Uninter
13:20.: Composição da Mesa de Honra  - Srta. Mirela Prosdocimo, Secretária da SEDPcD de Curitiba e demais autoridades.
13:40h.: Hino Nacional interpretado pelos “Cantores de Angola” com  tradução em Libras pela intérprete de Libras Joseli Simões.
13:50h.: Mensagem da Secretária Mirella Prosdócimo
14:00h.: Apresentação musical das Crianças Surdas do Colégio Alcindo Fanaya
14:10h.: Palestra – Novas Leis sobre Empregabilidade das PcD – Dra. Tereza Gosdal, Procuradora do Trabalho MPT.
14:40h.: Avisos da Campanha do Emprego de PcDs – Profª Ivy Abade, diretora da Unilehu
14:50h.: Apresentação dos “Cantores de Angola”. Cantores angolanos cegos.
15:00h.: Depoimento de Mauro Nardini, presidente da ADFP  - A sexualidade das PcD.
15:30: Cofee Break – no oitavo andar com apresentação do tecladista cego Adrian
16:00h: Apresentação de dança com a Profª Joseana Withers do Instituto Guerreiros de Arte-Reabilitação
16:15h: Palestra magna - A Deficiência Psicossocial  - Dr. Romeu Kazumi Sassaki, professor, autor de vários livros da área da inclusão, ativista do movimento, especializado em aconselhamento de reabilitação, com mais de 50 anos de experiência junto à pessoa com deficiência e autor de técnicas de inspiração inclusivista do movimento, representante do Brasil junto a UNESCO e outros órgãos internacionais.
16:45h.: Palestra - Campanha da Genética no SUS – prevenção das deficiência e diagnóstico precoce - Dr. Salmo Raskin, médico, doutor em genética.
17:15h: Depoimento – A PcD como Gestor Publico – Prof. Irajá de Brito Vaz, professor da PUC Pontifícia Universidade Católica do Paraná
17:45h:  Depoimento – Como ser mãe de PcD – Daiane Kock
18:15h: Palestra - Deficiência visual e  retinopatia diabética - o impacto da doença neste milênio - Profª Lilian Biglia, professora do IPC Instituto Paranaense de Cegos, especialista em educação especial com ênfase em  orientação e mobilidade de pessoas com deficiência visual
18:45h: Dança das cadeiras de rodas – Membros do Ministério dos especiais da PIB  Primeira Igreja Batista de Curitiba, liderados pelo Pastor Adoniran
19:00h: Apresentação do Grupo de Pagode “Além da Visão” da PIB Primeira Igreja Batista de Curitiba


20:00h: Encerramento












































































segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Fórum Paranaense de Acessibilidade, Rio Negro - 29 de outubro de 2013

Cerca de 130 pessoas acompanharam a edição regional do Fórum Paranaense de Acessibilidade, realizada em Rio Negro terça-feira dia.
Entre o público presente, o presidente do CREA-SC, engenheiro civil Carlos Alberto Kita Xavier, membros da Comissão de Acessibilidade do CREA-SC, o reitor da Universidade do Contestado (UNC), José Alceu Valério, o Inspetor Chefe do CREA-PR em Rio Negro, engenheiro eletricista Ilton Rechetello, engenheiros do quadro da Prefeitura Municipal, representantes da Associação Rionegrense dos Portadores de Necessidades Especiais, da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Rio Negro, da Secretaria de Ação Social, membros da AMO-Ostomizados, alunos de engenharia civil, enfermagem e fisioterapia da UNC.
“O evento foi pioneiro em Rio Negro, uma iniciativa válida em um município que ainda enfrenta a falta de cultura sobre acessibilidade”, relata o presidente da Associação Rionegrense dos Portadores de Necessidades Especiais, Marcos Antonio Reway. “O Fórum veio ao encontro de nossas demandas por conhecimento, adquirido através das palestras sobre novas tecnologias e normativas”. Segundo ele, Rio Negro enfrenta um grave problema relacionado à acessibilidade: os 22 pontos de ônibus localizados nas principais ruas da cidade são inacessíveis, obrigando aos cadeirantes esperar pelo veículo em dias de chuva embaixo d´água. Fundada em 2010, a Associação possui 50 associados e tem como proposta implementar medidas que visem à melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência, seja ela temporária ou permanente.
O Fórum apresentou palestras do engenheiro mecânico Sérgio Yamawaki, sobre Inovações em Acessibilidade; do engenheiro civil Antônio Borges dos Reis, coordenador do Fórum de Acessibilidade do CREA-PR, da assessora Claudeth Tiemi Sakakima, do CREA-PR , sobre o Atendimento a surdos – Uso do V-PAD e uma apresentação do Programa Viver sem Limites - linhas de financiamento, pelo gerente do Banco do Brasil de Rio Negro.
Por Daniela Licht (Regional Curitiba)
Curtir ·  ·  · há 4 horas · 
  • Sergio Yassuo Yamawaki Borges, o Fórum de Rio Negro foi especial devido à grande participação e debate sobre um dos problemas principais da acessibilidade que são as calçadas, como a de Rio Negro que tem uma legislação obrigando que as calçadas da região central sejam de Petit Pavê que é no mínimo uma falta de bom senso. Também destaco a participação do presidente do coordenados da comissão de acessibilidade do CREA-SC.

sábado, 2 de novembro de 2013

Sidewalk Maintenance and Repair



Enviado em 16/11/2011
The New York City Department of Transportation oversees sidewalk maintenance in the five boroughs. Safety is the agency's top priority, and sidewalks safety is a crucial part of that mission.

No matter how we travel in the city -- whether by subway, bus, car or bicycle -- we are all pedestrians at some point during our journey. And to ensure the safety of City residents and visitors alike, it is crucial that our sidewalks remain in good condition throughout the five boroughs.

Are you a property owner in NYC? Learn more about sidewalk repair, your responsibilities and the Notice of Violation process.

Learn about the typical life cycle of a NYC sidewalk:http://www.youtube.com/watch?v=jy_fi6...

http://nyc.gov/sidewalks
  • Categoria

  • Licença

    Licença padrão do YouTube

Sidewalk Safety Campaign



Publicado em 08/02/2013
Find out how a clear sidewalk is a safe sidewalk.http://sidewalksafety.charlottenc.gov/
  • Categoria

  • Licença

    Licença padrão do YouTube

Manutenção de calçadas - um assunto sério



Publicado em 29/08/2013
L'ensemble de la rue du président De Gaulle va être en travaux à partir du lundi 2 septembre prochain pendant deux mois. Un chantier qui s'effectuera en quatre phases afin de refaire en enrobé les trottoirs et la chaussée, mais également de permettre l'accessibilité aux personnes à mobilité réduite.


Publicado em 03/04/2012
http://houseinspectionhelp.com visit this website to learn more about your home. Watch his video to learn more about problems business owners and property owners face when their neighbor up the street isn't taking care of their property and instead creating problems for yours. Don't forget to visit our website and check out some of our books for more information about your property, building and home inspections.
  • Categoria

  • Licença

    Licença padrão do YouTube





Enviado em 12/07/2010
Go behind the scenes of the City of Walnut Creek's Public Service Department. See how the Street Maintenance Division takes on sidewalks, roads, and storm drains to keep a city moving.

Sécurité Transport Scolaire Piéton - CSSMI

Perils For Pedestrians 124: Kansas City - exemplo EUA



Enviado em 01/05/2011
http://www.pedestrians.org
--We look at the sidewalk maintenance program in Overland Park, Kansas.
--We learn about the Major Taylor Foundation of Greater Kansas City.
--We talk with the executive director of the Missouri Bicycle Federation.
--We meet the bicycle and pedestrian transportation planner for the Mid America Regional Council.
--Pedestrians are told to keep away by a bank in Kansas City.
. . . . . . . . . . . . . "Perils For Pedestrians" appears on public access cable channels in 150 cities across the United States. Help us get on the public access channel where you live. Produced by John Z Wetmore.

sábado, 19 de outubro de 2013

Andrea Matarazzo propõe que a Prefeitura se responsabilize pelas calçadas



Publicado em 14/03/2013
Cerca de 6 mil dos 35mil km de calçadas são considerados rotas estratégicas. Se priorizarmos o conserto desses 6mil km resolvemos 80% da acessibilidade em São Paulo. Quedas em calçadas são responsáveis por 20% dos atendimentos na emergência do Hospital das Clínicas. leia mais:http://www.andreamatarazzo.com.br/not...

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Precisa de força - a imersão entre os transeuntes e as calçadas ruins

As pedrinhas irregulares complicam a utilização de cadeiras de rodas

Força ajuda

Critérios de tombamento discutíveis

O pesadelo das calçadas com pedras irregulares - relato de acidentes - a frieza dos tecnocratas

Testando a Rua das Flores e seu infame petit pavê



Tecnologia, Educação e soluções para as pessoas com deficiência.
O Primeiro Seminário de Tecnologia e Acessibilidade no Instituto de Engenharia do Paraná começa amanhã, dia 17 de outubro, e pretende motivar cientistas, pesquisadores, inventores, gente criativa e empresários para a solução de limitações que a Ciência e a Tecnologia já permitem resolver, desde que exista empenho e disposição política e empresarial para isso.
O seminário procurará emocionar, motivar, assim como sugerir caminhos. Pretende também colocar entidades em condições de fazer algo em contato.
Como é de praxe os brasileiros gastaram décadas produzindo leis, decretos e até normas técnicas que simplesmente não são obedecidas. Infelizmente as prioridades foram outras, desviando a atenção de autoridades e do povo em geral para questões essenciais à inclusão, recuperação, valorização e respeito aos idosos, idosas, pessoas com deficiência e com doenças debilitantes.
No desleixo monumental em que vivemos perdemos nichos de mercado e oportunidades de desenvolvimento tecnológico.
Os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 demonstram que, quando o Governo quer, as coisas podem acontecer. Por quê tanto desprezo pelo ser humano?
Responder a questões éticas é algo delicado e que demanda muitos estudos (que já existem).
Um aspecto interessante é que o Brasil já foi mais atento às questões humanas.
Em Curitiba tivemos períodos de muita atenção às pessoas com deficiência. De sinaleiros com placas em Braille à preocupação com as rampas para cadeirantes, do CEFET ao LAC, do CRESA à UFPR havia um ambiente proativo, depois algo mudou e muito. Coincidentemente a Humanidade mergulhou na neurose do CO2, assim muitas pessoas com vocação para o ativismo social desviaram-se do desafio humano de existir, viver com dignidade. Isso é fácil de perceber em programas de habitação popular onde caixinhas minúsculas são produzidas e denominadas “casas populares”. Esses lugares mostram que nosso povo mais humilde, incrivelmente punido pela pobreza, é mais uma vítima do esnobismo das nossas elites capitalistas e intelectuais.
O Programa Viver sem Limites foi um belíssimo momento de inflexão que, entretanto, parece que não chegou à Curitiba. Os efeitos foram pequenos, agora, talvez despertando a partir de exemplos de estados vizinhos.
O Paraná possui uma boa base técnica de P&D. Faltam-lhe recursos abundantes. Sua produção é penalizada por leis extravagantes (lei Kandir e ICMS da energia) e o dinheiro dos impostos desaparece em mãos federais.
Sejam quais forem as razões, a criatividade e a disposição para produzir algo exigem muito pouco dinheiro. A favor das PcD e outros basta (por exemplo) o domínio de utilização das técnicas atuais de microprocessadores e kits tais como celulares, notebooks e alguns dispositivos auxiliares. Pode-se imaginar e criar soluções inimagináveis em tempos quando o GPS, a Internet, os transdutores de baixo custo, fibras óticas etc. não existiam ou eram muito caros. Fora isso há muito a ser feito dentro de outras especialidades.
No Primeiro Seminário de Tecnologia e Acessibilidade vamos tratar disto, assim como de urbanismo, equipamentos médicos, etc..
Amanhã, na sede do IEP, Rua Emiliano Perneta, 174, primeiro andar, nós estaremos reunidos para numa sala de eventos adaptada realizar um seminário que, com certeza, marcará a história de nosso povo dedicado ao tema em foco.

Cascaes
16.10.2013



Manutenção de calçadas - um tema emergencial

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Minha neta Isabela na lista dos quase acidentes graves em uma calçada curitibana


De: Isabela Cascaes Sebastiani
Enviada em: terça-feira, 15 de outubro de 2013 09:38
Para: 'João Carlos Cascaes'; 'isabela cascaes'
Cc: 'Tatiana Cascaes'
Assunto: RES: queda em calçada

Oi, Vô

Tudo bem?
Não me recordo certinho a data, foi em um sábado por volta do meio dia, a cerca de 01 mês atrás.
Fazia meu caminho de 01 quadra, retornava do clube ao meu prédio, foi na Republica Argentina entre a Getulio Vargas e a Av Iguaçu. Faço esse percurso 3x por semana nos dias que vou a ginástica, e é caótica a calçada nesse trecho, qualquer distração pode levar um super tombo. Fica na lateral do Pão de açúcar.
Não me machuquei mais porque agora vou com atenção dobrada!

Escorreguei pq tem vários buracos e a calçada é de pedra (não sei o nome do material), e tem vários buracos descalçados, achei que levaria um escorregão mas deslizei e cai feio, Sorte que estava frio e eu usava uma jaqueta grossa de naylon e calça.

beijos


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Para sonhar - Ville Saguenay - La nouvelle Place du Citoyen en images



Publicado em 21/03/2012
Le maire Jean Tremblay nous décrit le projet et nous présente des images de Place du Citoyen au centre-ville de Chicoutimi.

ADA VIOLATIONS curb access and dangerous streets



Enviado em 25/09/2009
the city of santa barbara has two sets of rules , one for tourists and one for residents!we will show this differance in videos . look for the video where police tell me i must ride in the streets. streets that are dangerous for bicycling with no bicycle lane and fiew crossings . a wheelchair is tortourous ridding the walkways with many curb accesses non existant.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

domingo, 25 de agosto de 2013

O correto seria o município assumir a construção das calçadas e não o cidadão.

O correto seria o município assumir a construção das calçadas e não o cidadão. A propriedade dos imóveis são delimitadas no alinhamento da cerca ou muro e não do meio fio. Calçada é um bem público portanto deve ser construída e mantida pelo poder público. O Paraná lançou esta semana um PROGRAMA DE CALÇADAS para os pequenos municípios, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, financiando a fundo perdido. Recursos para acessibilidade deveriam estar anualmente nos orçamentos dos três níveis de governo caso contrário vira tudo demagogia. É impossível acabar com todas as barreiras arquitetônicas construídas ao longo dos anos numa gestão da prefeitura mas se houver um bom planejamento em cinco ou seis administrações poderemos deixar nossas cidades plenamente acessíveis.